Teixeira de Freitas é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se no extremo sul do estado, distante 854 km   da capital. Sua população estimada em 2019 era de 160 487 habitantes, sendo a maior cidade da sua Região Geográfica Imediata e a nona maior do estado da Bahia. O município possui área territorial de 1 165,6 km², elevação de 109 m e temperatura média anual de 24,3 °C. A cidade foi fundada no ano de 1985, desmembrando-se dos municípios de Alcobaça e Caravelas. Embora seja mais nova que os municípios vizinhos, Teixeira de Freitas consolidou-se como a principal cidade da região. A população do município se expande a uma taxa 2,4 vezes maior que a Bahia e 1,6 maior que o Brasil, tendo aumentado 87% do seu número de habitantes nos últimos 25 anos.

Etimologia

A cidade de Teixeira de Freitas recebeu o nome em homenagem ao baiano Mario Augusto Teixeira de Freitas (São Francisco do Conde, 31 de março de 1890 — Rio de Janeiro, 22 de fevereiro de 1956) estatístico brasileiro, fundador do Instituto Nacional de Estatística, cujo nome foi mudado em 1938 para Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

O governo achou por bem prestar-lhe uma homenagem póstuma, tendo os chefes das agências de estatísticas recebido ordens da direção central do IBGE, no sentido de propor junto aos prefeitos de cada município que fosse dado o nome de Teixeira de Freitas a um logradouro. Em 1957, o então chefe das agências de estatísticas de Alcobaça, Miguel Geraldo Farias Pires e Wagton Cabral Pereira em cumprimento às determinações emanadas da Inspetoria do IBGE na Bahia, oficialmente, solicitou da Prefeitura e Câmara de Alcobaça a homenagem póstuma ao imortal baiano Teixeira de Freitas, dando-lhe o seu nome ao Povoado de São José de Itanhém, o que foi bem aceito pelo Executivo e Legislativo de Alcobaça

História

A emancipação do município foi estabelecida pela Lei 4.452 de 9 de maio de 1985. A instalação se deu em 1º de janeiro de 1986, tendo a população da cidade aumentado enormemente desde então. A área do município é de 1.157,4 km². A história da cidade, embora recente, guarda aspectos pitorescos e valiosos que auxiliam a analisar a situação socioeconômica atual no município. Vários destes aspectos foram relatados por antigos moradores e, entre eles o fato de que em 1965/66 já existiam vários núcleos que, embora vizinhos, pertenciam a municípios diferentes: é o caso de Vila Vargas, Jerusalém, São Lourenço e do bairro rural Duque de Caxias, que pertenciam ao município de Caravelas. Monte Castelo, Bairro da Lagoa (onde está o shopping Teixeira Mall Center) e Buraquinho pertenciam a Alcobaça. Teixeira de Freitas foi criado com o desmembramento de terras de Alcobaça e Caravelas.

Mesmo sem contar com qualquer infraestrutura, inclusive energia elétrica e vias de acesso razoáveis, estes núcleos atraíram contingentes migratórios consideráveis e, no ano de 1980 Teixeira de Freitas era um expressivo centro regional, com mais de 60.000 habitantes, sem mesmo ser emancipado politicamente, enquanto cidades vizinhas centenárias fundadas nos séculos XV e XVI, como Caravelas, Alcobaça e Mucuri, permanecem até atualmente com uma população de poucas dezenas de milhares de habitantes.

História Geográfica

As divisões territoriais e a instalação de unidades político-administrativas foram ocorrendo desde o início do século XVIII (Caravelas), mas sobretudo no século XX, depois de 1950, demonstrando que a Região Extremo Sul foi uma das últimas a se desenvolver em relação às demais no Estado da Bahia.

Até a década de 70 o vilarejo de Teixeira de Freitas, perdido na Mata Atlântica que ainda restava no interior baiano, era apenas uma referência para os seus próprios e poucos moradores.

A constituição do município é muito recente. Até há pouco tempo, 1986, o núcleo urbano possuía uma situação muito singular. A sua subordinação administrativa era dívida entre dois municípios. A vila que origem a Teixeira de Freitas se localizava exatamente na linha divisória entre os municípios de Alcobaça e Caravelas. De tal modo que algumas ruas estavam em um município e outras no seu vizinho

Alcobaça, sede do município que dispensava uma atenção um pouco maior ao povoado pela simplicidade de sua organização administrativa e pela pouca importância da Vila de Teixeira de Freitas, não possuía nenhum mecanismo legal e constante para o acompanhamento e a fiscalização sobre o que e como se construía. Assim o núcleo urbano ia se estendendo, desorientado.

A partir da década de 70, com a construção da BR 101, e num movimento que já havia se iniciado alguns anos antes com pouca intensidade, a mata vai sendo derrubada e substituída por pastagens. Inicialmente, num processo mais lento, chegaram os criadores do interior baiano. Após a construção da rodovia, vieram principalmente os criadores mineiros e os madeireiros capixabas que, numa conjugação de interesses, intensificaram a tomada da mata. O núcleo então começa a ganhar força.

A chegada das serrarias foi decisiva no grande aumento do movimento na já dinâmica região e reforçou a tendência de expansão de todo o comércio.

O solo se mostrava adequado para a agricultura. A fase do “milagre brasileiro” promove a expansão do mercado consumidor no sul do país. As terras de Teixeira de Freitas passam a atrair migrantes agricultores e empresas cooperativas, sedentos de produção e lucro rápido

Economia

O Produto Interno Bruto (PIB) de Teixeira de Freitas em 2014 era de aproximadamente 2 bilhões de reais. Do valor total do PIB teixeirense no referido ano, 72,8 milhões advieram do setor primário, 226,7 milhões do setor secundário, 1,1 bilhão do setor terciário, 388,1 milhões da Administração pública e 197,6 milhões foram arrecadados com impostos sobre produtos líquidos de subsídios. O PIB per capita era de 12,5 mil reais.

Em 2010 havia 93 354 habitantes acima de 18 anos no município. Dessa faixa etária, 65 236 (69,9%) eram economicamente ativos e estavam ocupados, enquanto outros 9 326 (10%) estavam desocupados. Os demais 18 792 (21%) foram considerados economicamente inativos. Das pessoas ocupadas, 22,75% trabalhavam no setor agropecuário, 2,82% na indústria extrativa, 6,45% na indústria de transformação, 8,80% no setor de construção, 1,06% nos setores de utilidade pública, 15,06% no comércio e 37,21% no setor de serviços.

Infraestrutura

Educação

Centro Territorial de Educação do Extremo Sul (CETEPES)

No ano de 2015, o município contava com 50 instituições pré-escolares, 76 do ensino fundamental e 12 do ensino médio. Ao total são 30 131 matriculas, com efetivo de 194 docentes na pré-escola, 930 no ensino fundamental e 337 no ensino médio.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) entre as escolas públicas de Teixeira de Freitas era, no ano de 2013, de 4,4 nos anos iniciais e 3,5 nos anos finais. O município estava na 68º posição entre os 417 municípios da Bahia, quando avaliados os alunos dos anos iniciais e na 86º posição quando avaliado o IDEB dos anos finais. Ao nível nacional, Teixeira de Freitas estava na 3 618º posição entre os 5 565 municípios, quando avaliados os anos iniciais e na 3 779º quando avaliados os anos finais.

Faculdade do Sul da Bahia (FASB)

O indicador de educação do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de 2010 foi de 0,588, enquanto o da Bahia e do Brasil foram de 0,555 e 0,637, respectivamente. Em 1991, esse índice era de apenas 0,169, mostrando que o IDH-M Educação do município aumentou quase 3,5 vezes nesse período. Considerando-se a população municipal de 25 anos ou mais de idade, 19,04% eram analfabetos, 44,84% tinham o ensino fundamental completo, 32,11% possuíam o ensino médio completo e 6,69%, o superior completo.

Teixeira de Freitas é referência na educação regional, oferecendo cursos de ensino técnico e superior para a população local e de cidades próximas. O município possui um campus do Instituto Federal Baiano (IF Baiano), o campus Paulo Freire da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), o campus X da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), dois campus da Faculdade do Sul da Bahia (FASB), um campus da Faculdade Pitágoras (Pitágoras), além de outras instituições de ensino técnico e superior.

Transportes

Aeroporto 9 de Maio

Aeroviário

A cidade de Teixeira de Freitas possui o Aeroporto 9 de Maio (IATA: TXF, ICAO: SNTF), localizado a 8 km do centro da cidade, na rodovia BA-290. A área de influência do aeroporto abrange parte do leste de Minas Gerais, a região norte do Espírito Santo e parte do extremo sul da Bahia. A Azul Linhas Aéreas Brasileiras é a única empresa comercial operando no município e oferece voos diários (exceto aos sábados) para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins/Belo Horizonte), onde o usuário pode fazer conexão para outros destinos.

O Aeroporto 9 de Maio está sob administração da AGERBA e a sua pista possui 1 460 m de comprimento, 30 m de largura e 105 m de elevação. Atualmente está em análise a inclusão de novos voos diretos, com destinos para Salvador (BA) e Vitória (ES). No ano de 2014 também foi anunciado investimentos por parte do Governo do Estado da Bahia para ampliação das instalações. Essas obras elevarão o aeroporto a uma categoria de porte médio.

Rodoviário

Estação Rodoviária de Teixeira Freitas

Teixeira de Freitas é cruzada pelas rodovias BR-101 e BA-290, ficando a 64 km do litoral, 81 km da divisa entre a Bahia e o Espírito Santo e 84 km da divisa entre a Bahia e Minas Gerais. A cidade se encontra na rota de grandes centros urbanos, como Salvador (BA), Vitória (ES) e Belo Horizonte (MG), além de praias requisitadas e cidades históricas, como Porto Seguro (BA). Tudo isso somado ao fato de Teixeira de Freitas ser um importante polo regional, contribui para que o fluxo de viajantes pelo município seja elevado.

O terminal rodoviário da cidade se situa na Avenida Paulo Souto, no bairro Jardim Planalto, a apenas 1 km da rodovia BR-101. É administrado pela empresa SINART e é um dos mais importantes do estado. São oferecidos destinos para vários locais da Bahia, Espírito Santo e Minas Gerais, além de metrópoles de outros estados, principalmente das regiões Sudeste e Centro-Oeste. As viações Águia Branca, Rio doce e Gontijo são algumas das empresas que operam no município.

Ônibus Coletivo de Teixeira de Freitas

Urbano

O trânsito de Teixeira de Freitas é controlado pelo Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), vinculado à Secretaria Municipal de Infraestrutura e Transporte. Devido ao pouco tempo de existência do município, seguido do rápido desenvolvimento urbano, Teixeira de Freitas ainda apresenta muitas vias sem pavimentação. Esse talvez seja o maior problema que o município enfrenta atualmente. Formam-se vários pontos de alagamento pela cidade quando chove, mas aos poucos esses problemas estão sendo sanados.

O transporte coletivo do município é integrado, portanto aqueles que possuem o cartão de bilhetagem eletrônica podem efetuar o transbordo de ônibus no terminal urbano da cidade, que fica localizado no Centro. A empresa encarregada do transporte público entre os bairros é a Viação Santa Clara. Teixeira de Freitas também conta com serviços de táxi e moto-táxi.

Shopping Pátio Mix Teixeira de Freitas

 No ano de 2015, a cidade contava com uma frota de 55 207 veículos, sendo 19 758 automóveis, 1 593 caminhões, 456 tratores, 5 767 caminhonetes, 692 camionetas, 127 micro-ônibus, 19 363 motocicletas, 5 649 motonetas, 388 ônibus, 193 utilitários e 2 221 veículos de outros tipos.

Segurança pública

Infelizmente a Bahia é um dos estados mais inseguros do país. No último censo levantado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) com relação ao ano de 2015, Teixeira de Freitas foi considerada a sétima cidade mais perigosa do país, tendo uma taxa de 88,18 homicídios para cada 100 mil habitantes. Segundo também o último censo Mapa da Violência, 22 municípios baianos estavam entre os 100 mais violentos do Brasil. Ao todo foram registrados 4 441 homicídios por arma de fogo no estado, no ano de 2014. Ainda no mesmo censo, o município de Teixeira de Freitas registrou 80 assassinatos por arma de fogo, ficando com uma taxa de homicídio por 100 mil habitantes de 55,7%. Os índices da Bahia e do Brasil foram de 30,7% e 21,2%, respectivamente. A cidade ocupa a 15º posição entre os municípios mais violentos do estado e a 66º posição no país. Cidades com menos de 10 mil habitantes não fizeram parte da pesquisa.

Se a situação em Teixeira de Freitas já é ruim, no resto do sul do estado é ainda pior. Dos 22 municípios mais violentos da Bahia, 9 pertencem a essa região. Teixeira de Freitas ocupa apenas a 8ª colocação entre os mais violentos, atrás de cidades como Itabuna, Ilhéus, Porto Seguro e Eunápolis